Pico da Bandeira – Tudo o que você precisa saber em 10 tópicos.

by Fernando Barros
Cume do Pico da Bandeira
97 / 100

Subir o Pico da Bandeira foi o trekking que escolhemos para ser a segunda montanha que faríamos com a Gabi, aos 3 meses e 20 dias de vida – A primeira foi a Pedra da Macela em Cunha, na qual subimos durante a noite, acampamos no topo e descemos no dia seguinte (ela tinha 40 dias) – Queríamos ter uma experiência mais longa em família na natureza, e assim aprender como seria daqui para frente as nossas aventuras com esse novo “time” formado: Eu a Má e a Gabi.

Pode parecer um pouco exagerado escolher o Pico da Bandeira, a terceira maior montanha do Brasil, com 2.892 metros de altitude, mas para nós não era. Temos muita experiência acumulada em montanhismo (pratico há mais de 20 anos), o camping não é selvagem e tem uma estrutura razoável, a trilha também não é nada técnica, apenas puxada fisicamente e a navegação é bem simples. E para completar se fosse preciso voltar, o acampamento estaria a apenas 2hs (considerando caminhada e carro) da cidade de Alto Caparaó.

Trekking Pico da Bandeira
Subindo rumo ao Acampamento Terreirão

1 – É preciso fazer reserva para acampar no Parque Nacional do Caparaó?

  • Sim, se você for acampar em qualquer área de camping (tanto no lado de MG como de ES), é preciso fazer uma reserva, mas não necessariamente com antecedência. Nós por exemplo fomos durante a semana e como normalmente é mais vazio, chegamos na hora e registramos nosso lugar na portaria mesmo. Mas se você quiser garantir ou for no final de semana faça a reserva nesse link do ICMBIO PARNA Caparaó
  • Atualmente não existe taxa de ingresso e nem taxa para camping.

2 – Por qual lado subir o Pico da Bandeira, MG ou ES?

Essa é uma dúvida clássica para quem vai para o PARNA Caparaó. Nós escolhemos subir pela portaria de MG. Existem alguns pontos para considerar.

Portaria Alto Caparaó – MG

  • Para quem vem de São Paulo (que foi o nosso caso), as duas portarias MG e ES tem praticamente a mesma distancia. São 770km e 760km respectivamente.
  • Gostamos bastante da cidade de Alto Caparaó-MG, com restaurantes charmosos e uma cultura sobre o café bem forte. De lá saem os melhores cafés do Brasil. Então isso acaba sendo um plus a mais para ir pelo lado mineiro.
  • No lado mineiro tem as famosas cachoeiras do Vale Encantado. Provavelmente você já viu em algum instagram a foto clássica de alguém boiando de braços abertos em um poço arredondado e esverdeado. Então, esse lugar fica no inicio da trilha que leva para o Pico da Bandeira pelo lado mineiro.
  • A trilha pelo lado mineiro é mais longa se você considerar o ultimo local que é possível chegar de carro, o acampamento Tronqueira (1.970 metros de altitude), mas é possível dividir a trilha em duas partes e ficar no acampamento Terreirão que já esta à 2.270 metros de atitude e à 3,2km do Pico da Bandeira.

Portaria Pedra Menina – ES

  • Pelo lado capixaba você consegue ir de carro até o acampamento Casa Queimada, que fica à 2.100 metros de altitude e de lá são 4,2km de trilha até o cume do Pico da Bandeira. É um desnível maior que do Terreirão mas é menor do que o Tronqueira.
  • Se você quiser também subir o Pico do Cristal, pelo lado do ES é mais perto.
  • A trilha que sai do Acampamento Casa Queimada no lado no ES passa necessariamente pelo Pico do Calçado, com 2.849 metros de altitude. E isso pode ser algo bem legal para quem quer adicionar mais uma montanha em sua lista. Esse pico é considerado por muitos a quinta maior montanha do Brasil (Mas o IBGE classifica ela como um sub-cume do Pico da bandeira e assim não inclui na lista oficial. Leia Sobre isso no post: AS 35 MAIORES MONTANHAS DO BRASIL

No nosso caso, escolhemos em uma primeira viagem subir pelo lado mineiro e as nossas dicas consideram essa via.

Outra opção que também pode ser bem legal é fazer uma travessia. Por exemplo subir pelo lado capixaba e descer pelo lado mineiro. Deve ser a mais interessante, mas que exige uma logística de resgate mais complicada.

3 – Quantos dias são necessários para subir o Pico da Bandeira?

As pessoas normalmente fazem em 1 dia ou 2. Nós fizemos em 3 dias

Se você escolher fazer em 1 dia

Sair bem cedo da Tronqueira (local de estacionamento foi carro) e subir os 14km (ida e volta) até o cume do Pico da Bandeira em uma tacada só e voltar para Alto Caparaó.

Se você escolher fazer em 2 dias

Sair sem muita pressa, passar nas cachoeiras e poços do Vale Encantado e subir os 3,7km da Tronqueira até ao acampamento Terreirão. “Dormir” lá e no dia seguinte entre 3-4hs da manhã, iniciar a trilha para o cume do Pico da Bandeira para ver o nascer do sol lá de cima. Em seguida voltar para o Terreirão, desmontar acampamento, descer para a Tronqueira, pegar o carro e ir embora.

Se você escolher fazer em 3 dias

Como subiríamos com a Gabi, descartamos a possibilidade da correria de fazer tudo no mesmo dia e da ideia de acordar ela de madrugada e pegar o frio extremo do amanhecer no cume. A logística que consideramos ideal, foi subir para o acampamento Terreirão no primeiro dia, sem pressa e parando no Vale Encantado, dormir por lá e também acordar sem pressa, fazer o cume do Pico da Bandeira e dormir novamente no Terreirão e descer no terceiro dia de volta para o estacionamento na Tronqueira.

4 – Planejamento para a condição de estar com uma criança.

Trilha rumo ao Terreirão
Trilha rumo ao Terreirão
  • Escolhemos uma data com uma ótima janela de previsão de tempo bom, e estávamos dispostos a adiar ou cancelar a trip caso na véspera da viagem a previsão mudasse. Ou seja só faríamos a trilha em condição climática ideal.
  • Faríamos a trilha em 3 dias e não em 2 dias que normalmente é feito. Sem correria e com mais tempo para se aclimatar com a altitude. Pode parecer bobagem isso, pois nem é tão alta assim, mas algumas pessoas ja; sentem essa elevação e não queríamos arriscar com a Gabi.
  • Iriamos durante a semana e não no final de semana em que a trilha fica muito lotada, podendo dessa forma acampar em um local bom, sem o camping estar cheio, muito barulhento e coisas assim.

Com isso organizamos o planejamento e colocamos em prática essa nova aventura. Correu tudo maravilhosamente bem e a seguir vou contar um pouco do aprendizado que tivemos para você também se aventurar no Pico da Bandeira, sozinho, com os amigos com com sua família.

5 – Distancias pelo lado de MG

  • Tronqueira para Terreirão são 3,7km. Sem peso leva de 1h30 a 2hs. Com mochila cargueira carregada para acampar, leva de 2h30 a 3hs. Nós estávamos muito carregados e levamos quase 3hs contando as paradas para descanso
  • Do Terreirão para o Cume do Pico da Bandeira. Conforme a marcação do parque são 3,2km. Na minha marcação deu uns 4km. Considerando ida e volta, dá de 7-8km
  • Descer do Terreirão para Tronqueira levamos 1h30

6 – O acampamento Terreirão.

O Terreirão está a 2.370 metros de altitude, ele possui uma grade área gramada para montar as barracas com algumas mesas de madeira, banheiros masculinos e femininos com chuveiro frio e tanques para lavar louças. Existe também uma casa para guarda-parque que estava vazia quando fomos (pelo que eu entendi eles ficam nos finais de semana) e um antigo abrigo de pedra de uns 40m2 que pode ser usado para cozinhar em dias de chuva e fazer bivaque. Não é permitido montar barracas la dentro.

É um local bem bacana, com uma vista linda para o pôr do Sol.

7 – Peso da mochila

Trekking do Pico da bandeira

Essa foi a trilha que fizemos com a Gabi que eu fui mais pesado. Estava carregando entre 35-40kg considerando o peso da bebê que era uns 6kg. O motivo desse peso foi:

  • Ter um bebê ou uma criança junto de você é como ter mais um integrante no grupo, mas que não carrega nada que é seu, obviamente. Nem a si próprio rsssss. Então este fato por si só já faz aumentar muito o total da carga minha e da Má.
  • Era a segunda vez que acamparíamos com a Gabi e a gente ainda estava aprendendo sobre o ideal de se levar. Isso fez a gente levar muita roupa de frio, coisas extras como precaução e etc.
  • A Marcela ainda estava se recuperando da cesariana e não podia carregar muito peso, além de estar também recuperando seu condicionamento fisico. Então coloquei na minha cargueira o máximo que cabia.
Equipamentos Pico da Bandeira

8 – Faz muito frio ?

Faz sim, vá preparado para isso. Nós fomos no final de maio e na madrugada no Acampamento Terreirão fez 12 graus. Não é nada absurdo, mas no pico do inverno pode fazer abaixo de zero sem dúvida.

No cume do Pico da Bandeira, obviamente sempre será muito mais frio e você for ver o nascer do sol pegará o momento mais gelado. Lá no cume venta muito e isso faz com que a sensação térmica seja ainda pior.

Resumindo, para não arriscar leve:

  • Saco de dormir para temperatura conforto zero grau
  • Jaqueta Anorak corta vento
  • Luvas e gorros
  • Uma segunda pele (roupa quente para ir colada no corpo)
  • Blusa quente térmica como: Fleece grosso, pluma, thermaball, polartec e etc

Claro que ter essas roupas todas técnicas não deve ser um limitador para você encarar essa montanha. Leve o que vc tiver, considerando a lógica acima.

9 – Dicas gerais

  • Não é preciso se preocupar em levar muita água. O primeiro trecho até o Terreirão existem vários pontos de coleta.
  • Cuidado com a sua comida na barraca, a noite é comum ver raposas (vimos uma) e pequenos roedores que podem ser atraídos pela sua comida. Feche bem.
  • O pôr do Sol do Terreirão é lindo.
  • Tente não levar muito peso. Não deixe passar de 15kg a sua mochila (se isso for possível…).
  • A trilha toda até o cume do Pico da Bandeira é bem marcada mas é sempre bom levar um GPS (o celular cumpre essa função hoje) com a trilha baixada. Veja no Wikiloc
  • VEJA O POST QUE FIZEMOS SOBRE COMO LEVAR UMA CRIANÇA PARA UMA TRILHA

10 – O dia a dia da trilha do Pico da Bandeira

Dia zero – 29/05/2019 | São Paulo – Alto Jequitibá.

Esse dia o plano foi dirigir o máximo possível e tentar chegar o mais próximo de Alto Caparaó. Nós nunca conseguimos sair cedo, pois tudo com a Gabi demora muito mais. Saímos depois das 12hs e após quase 8hs de estrada resolvemos dormir em uma cidade chamada Alto Jequitibá, que fica na saída da MG-111 que leva para Alto Caparaó. De lá são apenas mais 1h30 até a entrada do parque, em um estradinha bem bonita.

Dormimos em um hotel do posto de gasolina (Alto Posto Aliança), bem roots, o único da cidade que achamos. É é tudo, Posto de gasolina, rodoviária, supermercado (mas não conte com isso) e etc.

1° Dia – 30/05/2019 | Alto Caparaó – Acampamento Terreirão

  • Distancia 3,7km
  • Duração 3hs

Saímos do hotel do posto de gasolina, depois de um café da manhã clássico de pingado com pão na chapa e seguimos rumo a cidade de Alto Caparaó (não confunda com a cidade de Caparaó). Levamos 1h30 para chegar na portaria do Parque nacional do Caparaó.

Fizemos o registro da nossa entrada, avisando a intenção de dormir no acampamento Terreirão e subir para o cume. Não é preciso pagar nenhuma taxa para o parque.

Da portaria até o acampamento Tronqueira, são mais 6 km de estrada estreita e íngreme. Apesar de ser recomendado carros altos com tração, vi carros de todo o tipo lá em cima. Dá para chegar.

Em tronqueira, tem banheiros com chuveiro frio, alguns quiosques e área para camping, mas o legal mesmo é acampar mais para cima no “Terreirão”.

Vale encantado

O plano foi primeiro visitar as cachoeiras do Vale Encantado e depois seguir com todas a tralhas. Apesar de ser no mesmo caminho que leva para o Terreirão, uns 500 metros do inicio da trilha, achamos que seria melhor subir sem nada e descer novamente, do que deixar as mochilas na trilha.

O lugar realmente é muito lindo, com vários poços de forma arredondada com a cor da água esverdeada. A água é congelante, mas deu para entrar um pouco.

Voltamos para o carro, pegamos as mochilas, preparamos a Gabi no Ergobaby e começamos a subida para valer.

Chegando no Acampamento Terreirão

Acampamento Terreirão
Acampamento Terreirão

Levamos 2h20 de tempo de deslocamento em um total de 2h50 considerando as paradas, que até foi rápido considerando o peso e todas as mamadas e trocas de fraldas da Gabi. Mas foi uma subida duríssima para mim, eu estava muito pesado.

Chegamos no Terreirão nos últimos raios de Sol, foi o tempo de montar a barraca e escureceu. Tomamos um banho gelado, intercalando intercalando enquanto o outro cuidava da Gabi, colocamos ela para dormir e preparamos o nosso jantar. Ai foi só desmaiar dentro do saco de dormir.

2° Dia – 31/05/2019 | Acampamento Terreirão – Cume do Pico da Bandeira – Acampamento Terreirão (pernoite)

Pico da Bandeira
Flor de Amarílis, ameaçada de extinção. Pico da Bandeira ao fundo
  • Distancia 7km
  • Duração 5hs (3hs para subir e 2hs para descer)

Acordamos sem pressa e preparamos o café da manha enquanto a Gabi brincava encima da mesa de madeira com um dos seus brinquedinhos que levamos. Com a barriga cheia, preparamos a mochila de ataque, colocamos a Gabi no Ergobaby e perto das 11:00 saímos em direção ao Pico da Bandeira. Literalmente nos primeiros 10 metros de trilha a Gabi começou a chorar mostrando que queria mamar e tivemos que parar ali mesmo para amamentar. O chão estava cheio de lama e nem dava para sentar. Ela mamou presa em mim no canguru embicada no peito com a Marcela em pé. Essa foi a mamada mais ninja que já fizemos rsss.

A trilha seguiu tranquila morro acima e sem muito inclinação. Foi muito mais fácil que o primeiro dia. A grande diferença é que estávamos sem peso, apenas com uma pequena mochila com casacos, comida, água e coisas para trocar a Gabi. Nada comparado com os quase 40 kg do primeiro dia.

Passamos por algumas lajes de pedra e já era possível avistar o Pico da Bandeira e o Pico do Cristal. Nos últimos 40 minutos ficou mais íngreme, e mais cansativo, mas logo chegou. Levamos 3hs para subir

Cume do Pico da Bandeira

Pico da Bandeira
Marcela amamentando a Gabi no cume do Pico da Bandeira

Estava ventando bastante próximo do cume do Pico da Bandeira e eu cobri a Gabi com o meu Anorak e uma jaqueta de pluma para subir os últimos metros. O visual foi incrível, bem dramático com algumas nuvens baixas e um frio considerável. Apesar do sol forte deveria estar uns 10 graus no máximo no Pico da Bandeira.

Sentamos bem ao lado do marco do Pico da bandeira e a Má amamentou a Gabi novamente enquanto comíamos a nossa latinha de salada de atum clássica. Ela estava tão empacotada que nem dava para perceber que tinha um bebezinho ali. Ficamos uns 30 minutos no cume do Pico da Bandeira e começamos a descida. Em 2hs chegamos no acampamento Terreirão novamente e pegamos um lindo por do Sol de lá!

3° Dia – 01/06/2019 | Acampamento Terreirão – Tronqueira – Alto Caparaó – São Paulo

Mapa trecho Tronqueira para Terreirão
  • Distância 3,7km
  • Duração 1h30

Esse dia foi bem tranquilo. Acordamos sem pressa novamente, fizemos o café e começamos o processo de desmontar acamamento. Antes de empacotar os equipamentos na mochila, colocamos tudo para secar no sol. Durante a noite a nossa respiração condensou muito dentro da barraca e praticamente “choveu” la dentro. Isso é uma das coisas mais chatas de acampar em lugares frios e úmidos.

Fizemos a descida em 1h30 e chegamos em Alto Caparaó a tempo de almoçar em um restaurante de comida caseira que foi ótimo. Na sequencia, partimos em direção a São Paulo. Eu já sabia que não seria possível dirigir os quase 800km nesse dia e o plano era seguir até cansar e tentar diminuir a distancia para o dia seguinte. Mas nos 3 já estávamos cansados e assim que escureceu resolvi parar no primeiro hotel que aparecesse.

Acabamos parando em um Hotel Ibis na beira da estrada, uns 400 km de São Paulo ainda. E foi só entrar no quarto que a Gabi começou a chorar loucamente, de um jeito que não tinha feito em nenhum momento na trilha. Saudades da barraca e da natureza certeza!! 🙂

You may also like

1 comentário

Angela Barros 2 de outubro de 2019 - 08:38

Parabéns Fernando e Marcela por toda a determinação e planejamento e, em especial a participação da Gabi na trilha com todos os cuidados envolventes. ??????

Responder

Faça um comentário